.

 

 
 

 

DROGAS E SEXO
UMA UNIÃO NADA ESTÁVEL!

INTRODUÇÃO

Tanto as drogas legais como as ilegais, agem diretamente nos neurônios. Com o uso contínuo, as drogas alteram o equilíbrio do organismo, que é obrigado a se adaptar com a presença das substâncias químicas.  

Cada droga, seja a lícita, que pode ser adquirida livremente, ou a ilícita, tem um efeito potencial na sexualidade das pessoas e interferem na resposta sexual tanto do homem como da mulher. Esta interferência na sexualidade, é mais fácil de ser analisada no homem, pois a resposta sexual, orgasmo e ejaculação dele, é totalmente aparente, além do que, segundo pesquisas, os homens são também mais usuários de drogas do que as mulheres.

Afirma-se que as drogas que são alucinógenas não causam dependência física, mas sim efeitos sensoriais e ilusórios, e, por esse motivo, pode levar o usuário ao seu uso freqüente por imaginar que assim terá um melhor desempenho sexual. Mas após o uso da droga, o que geralmente acontece é a pessoa ficar totalmente voltada para si e não compartilhar o momento sexual com o parceiro, acarretando com isso um sexo desagradável para os dois.

O pior é que o primeiro uso de uma droga melhora o desempenho sexual, vindo a reduzi-lo com a continuidade do uso, o que leva o usuário a perceber o efeito nocivo somente após se tornar dependente.   Sexo e drogas não é uma relação estável, mas de curta duração.  

  

 

 

'
 

 
.